O golpe se aproxima: manifestações pela democracia, militares, forças de segurança e o fascismo no Brasil

<a href=”https://br.freepik.com/fotos-vetores-gratis/fundo">Fundo vetor criado por freepik — br.freepik.com</a>

O golpe está a caminho, só não vê quem não quer ou finge não entender. O governo corrupto de Bolsonaro, acompanhado de militares e forças de segurança, já começa a se movimentar nesse sentido. O que vemos é um flagrante desrespeito pela Constituição e uma imposição de valores nazistas, além da repressão da maioria da população que deseja viver em uma democracia.

Manifestações democráticas são reprimidas violentamente pelas polícias militares no Rio de Janeiro e em São Paulo, enquanto aquelas que pedem por uma ditadura, inclusive com a presença do próprio Bolsonaro, são protegidas pelas forças de segurança.

Hoje, 31 de maio de 2020, no Rio de Janeiro, houve duas manifestações defendendo a democracia. A primeira, em Copacabana, formada por diversos democratas e, dentro desses democratas, torcedores flamenguistas de torcidas organizadas e do coletivo Flamengo Antifascista, pediam a permanência da democracia e o fim do fascismo e autoritarismo no país. No mesmo horário, a manifestação encontrou uma manifestação a favor de Bolsonaro. A polícia fez um cordão para separar os dois grupos. Entretanto, o posicionamento da polícia, virada de frente para aqueles que defendem a democracia, demonstra quem a polícia pretendia defender e quem era considerado inimigo. A repressão policial não demorou, e os manifestantes antifascistas foram reprimidos com bombas de gás pela polícia.

Ainda no Rio, em frente ao Palácio Guanabara, uma manifestação com o tema “vidas negras importam” pedia um basta na violência policial contra negros e moradores de favela. Essa manifestação, ao fazer uma crítica a um Estado considerado genocida, também foi reprimida, de maneira violenta, pelas forças policiais (2).

Em São Paulo, a manifestação pró-democracia ocorreu em frente ao Masp e contou com torcidas organizadas do Corinthias, São Paulo, Palmeiras e Santos. Assim como no Rio de Janeiro, houve um encontro com manifestações que defendem o fascismo no país. Também como na capital fluminense, a polícia fez um cordão de isolamento virada, de frente, para os democratas. Houve violência policial contra os manifestantes contrários a Bolsonaro (3).

Apesar das altas taxas de ocupação de leitos de UTI, da taxa de letalidade, em torno de 7% no Estado, São Paulo, o município, estava planejando reabrir o comércio amanhã, primeiro de junho. Felizmente, o prefeito Bruno Covas (PSDB) desistiu de tal resolução (4). Covas, em verdade, não era favorável a abrir, muito menos, acredito, Doria, o governador do Estado. Entretanto, foram avisados que poderia ocorrer uma convulsão social (5). Mas, ao que parece, não apenas por isso há uma aceleração pela abertura da capital paulista. Há de ser lembrado que a Polícia Militar de São Paulo é bolsonarista em sua grande maioria e que defende, portanto, o fim do isolamento social. Uma prova disso foi a troca do tenente-coronel Mário Alves da Silva Filho, comandante da Rota até então, em função de seu posicionamento político. Silva Filho tinha a promessa de ficar até outubro à frente do batalhão, mas em função da mudança de seu posicionamento político, passou a ser crítico de Bolsonaro após ser infectado pelo novo coronavírus e a favor do isolamento, perdeu a influência sobre a tropa. Em virtude disso, o secretário da Segurança Pública, o general João Camilo Pires de Campos, transferiu Silva Filho para o Comando de Policiamento de Choque (CPChq), colocando em seu lugar o tenente-coronel José Augusto Coutinho, fechado com as ideias bolsonaristas (6). Pergunto, então, como seria possível controlar qualquer convulsão sem o auxílio das forças de segurança? Isso apenas demonstra a pouca força dos governadores em relação a essas forças e o apoio que Bolsonaro tem entre elas.

Enquanto isso, em todo o Brasil, manifestações pró-fascismo são protegidas por essas forças de segurança e, em Brasília, contam com a presença de Bolsonaro e seus ministros. Símbolos da supremacia branca (Ku Klux Klan), do nazismo, do fascismo e da ditadura militar são usados. Na última participação em uma manifestação, Bolsonaro montou um cavalo, lembrando o último presidente da última ditadura militar, João Baptista de Oliveira Figueiredo.

Enquanto Bolsonaro retuíta Donald Trump, dizendo que vai considerar o movimento antifascista ANTIFA como organização terrorista (7), o Exército já prepara seus soldados para operações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) (8). Todos nós sabemos que essas operações visam controlar a população e o motivo, como todos também sabem, é o possível crescimento de manifestações contra Bolsonaro e o fascismo que representa.

Termino o texto, para demonstrar o perigo do momento em que vivemos, com o fascismo avançando e se aproveitando da oportunidade dada por uma pandemia e pela convulsão social que se desenha nos Estados Unidos, com as palavras que o decano do STF, Celso de Mello, enviou para seus pares:

GUARDADAS as devidas proporções, O ‘OVO DA SERPENTE’, à semelhança do que ocorreu na República de Weimar (1919–1933), PARECE estar prestes a eclodir NO BRASIL!

É PRECISO RESISTIR À DESTRUIÇÃO DA ORDEM DEMOCRÁTICA, PARA EVITAR O QUE OCORREU NA REPÚBLICA DE WEIMAR QUANDO HITLER, após eleito por voto popular e posteriormente nomeado pelo Presidente Paul von Hindenburg, em 30/01/1933, COMO CHANCELER (Primeiro Ministro) DA ALEMANHA (‘REICHSKANZLER’), NÃO HESITOU EM ROMPER E EM NULIFICAR A PROGRESSISTA, DEMOCRÁTICA E INOVADORA CONSTITUIÇÃO DE WEIMAR, de 11/08/1919, impondo ao País um sistema totalitário de poder viabilizado pela edição, em março de 1933, da LEI (nazista) DE CONCESSÃO DE PLENOS PODERES (ou LEI HABILITANTE) que lhe permitiu legislar SEM a intervenção do Parlamento germânico!!!!

Alexandre L Silva

P.S.: Tive acesso a uma informação importante, depois de escrever esse texto. O enfrentamento entre manifestantes a favor e contrários a Bolsonaro, em São Paulo, ocorreu em função do surgimento de um grupo neonazista no local ostentando a bandeira do Pravyy Sektor (Setor Direito), partido de extrema-direita ucraniano. Para mais detalhes: https://www.diariodocentrodomundo.com.br/policia-investiga-se-manifestante-com-bandeira-ultranacionalista-ucraniana-iniciou-confusao-na-paulista/ ou https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil/pm-afirma-que-grupo-neonazista-foi-estopim-de-embate-na-paulista/ar-BB14QzZo?li=AAggXC1

NOTAS:

(1) https://twitter.com/jornalodia/status/1267127734532222981?ref_src=twsrc%5Egoogle%7Ctwcamp%5Eserp%7Ctwgr%5Etweet

(2) https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2020/05/31/rio-tem-protesto-vidas-negras-importam-em-frente-a-sede-do-governo.ghtml

(3) https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2020/05/31/interna_politica,859827/manifestantes-pro-democracia-fazem-ato-em-frente-ao-masp-em-sao-paulo.shtml Também: https://www.brasil247.com/regionais/sudeste/video-pm-reprime-com-violencia-ato-antifascista-de-torcidas-organizadas-na-paulista

(4) https://fdr.com.br/2020/05/29/prefeitura-de-sp-recua-e-nao-promete-reabertura-dos-comercios-na-segunda-feira/

(5) https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,ha-risco-de-ter-um-momento-de-convulsao-social-com-ou-sem-quarentena-diz-secretaria-de-sp,70003289119

(6) https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2020/05/27/secretario-troca-comandante-da-rota-critico-a-bolsonaro-e-alinhado-a-doria.htm

(7) https://www.brasil247.com/brasil/bolsonaro-retuita-trump-que-declarou-guerra-aos-movimentos-antifascistas

(8) https://www.brasil247.com/brasil/exercito-prepara-militares-para-operacoes-de-garantia-da-lei-e-da-ordem

(9) https://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/2020/05/celso-de-mello-compara-brasil-a-alemanha-de-hitler-e-diz-que-bolsonaristas-querem-abjeta-ditadura.shtml Também: https://www.brasil247.com/regionais/brasilia/em-mensagem-a-ministros-celso-de-mello-cita-hitler-e-alerta-para-atos-que-visam-uma-abjeta-ditadura-militar

Ex-professor de diversas universidades públicas e particulares. Lecionou na UFF e na UERJ. Articulista de opartisano.org e escritor da New Order no Medium.

Ex-professor de diversas universidades públicas e particulares. Lecionou na UFF e na UERJ. Articulista de opartisano.org e escritor da New Order no Medium.