A parcialidade da Globo em relação à Lava Jato segundo os números de uma matéria do Jornal Nacional

O Supremo Tribunal Federal (STF) votou hoje (29/09/2019) uma tese que tem o potencial de anular as condenações feitas pela Lava Jato e, por consequência, anular duas condenações do ex-presidente Lula ( a do triplex do Guarujá e a do sítio de Atibaia, esta última em primeira instância). A tese diz, basicamente, que réus delatados devem, sempre, apresentar as alegações finais (última parte do processo) após os réus delatores. O motivo para isso é bem simples: o princípio da ampla defesa deve ser respeitado, isto é, a pessoa tem que saber, antes de se defender, do que é acusada. Também poderíamos dizer que há um devido processo legal que, no caso da Lava Jato, não foi respeitado.

O Jornal Nacional (Rede Globo), jornal televisivo de maior audiência no Brasil, apresentou uma matéria sobre o assunto e, nela, as falas dos Ministros do STF. Nesse ponto, faço uma digressão para lembrar que a Globo é tida por muitos como apoiadora da Lava Jato em virtude de suas matérias e, de longe, o principal meio de vazamento de informações oriundas da força-tarefa. O julgamento, apesar de já apresentar maioria (7 a 3, contando o voto de Toffoli que já foi adiantado por ele; Marco Aurélio ainda não votou) para a tese em questão, que desfavorece a Lava Jato, ainda não terminou. A seguir, apresentarei o tempo que foi dado a cada ministro.

Edson Fachin: não falou nem votou hoje (por ser relator, votou ontem),

Alexandre de Moraes: 1 minuto,

Luís Roberto Barroso: 4 minutos e 13 segundos (houve um momento que fala foi feita por um jornalista e depois continuou),

Rosa Weber: 27 segundos,

Luiz Fux: 45 segundos,

Cármen Lúcia: 15 segundos,

Ricardo Lewandowski: 6 segundos,

Gilmar Mendes: 8 segundos,

Celso de Mello: 14 segundos,

Dias Toffoli: 41 segundos (não apresentou argumentos sobre seu voto, apenas disse os motivos pelos quais não iria votar hoje)

O ministro Barroso, principal defensor da Lava Jato e, segundo o site The Intecept Brasil e a Vaza Jato, amigo de Deltan Dallagnol, teve um tempo de exposição maior que todos os outros ministros juntos (4 minutos e treze segundos contra 3 minutos e 36 segundos). Lembrando que além de Barroso, Fachin e Fux votaram contra a tese, o tempo a quem favorável à Lava Jato sobe para 4 minutos e 54 segundos. Como Toffoli não argumentou, o tempo de defesa da tese que pode inviabilizar vários julgamentos da Lava Jato é de 2 minutos e 55 segundos, quase dois minutos a menos.

Alguém tem mais alguma dúvida sobre a parcialidade da matéria?

Alexandre L Silva

Ex-professor de diversas universidades públicas e particulares. Lecionou na Universidade Federal Fluminense e na Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store