A desconfiança do Financial Times sobre os números divulgados da economia brasileira

<a href=”https://br.freepik.com/fotos-vetores-gratis/negocio">Negócio vetor criado por freepik — br.freepik.com</a>

O Financial Times (https://www.ft.com/content/bc552d72-15cf-11ea-9ee4-11f260415385) publicou uma matéria,em 03/12/2019, que tem como título: “Falha nos dados econômicos brasileiros desperta preocupação entre analistas”. Essa matéria, portanto, levanta uma série de dúvidas sobre os dados econômicos fornecidos pelo governo brasileiro e seu Ministério da Fazenda, levantando dúvidas sobre uma possível maquiagem dos dados oficiais pelo governo brasileiro. Nunca é demais lembrar que o Financial Times é um jornal inglês que já demonstrou total apoio às reformas do governo brasileiro e que, portanto, não pode ser considerado, por Bolsonaro, como um “jornal esquerdista”.

Nessa reportagem, o jornal afirma que, após a segunda revisão dos números, feita pelo Ministério da Fazenda em menos de uma semana, a confiança nos dados brasileiros, em relação ao PIB e as exportações, foi abalada entre os analistas financeiros. Os dados brasileiros, até então, eram considerados exemplares por toda comunidade financeira, algo que não acontece mais.

As causas dessa desconfiança, por parte dos analistas, são principalmente as duas revisões em menos de uma semana, o “número extraordinariamente grande de estoques das empresas” e a queda do real proveniente da “forte erosão da balança comercial e da conta corrente”.

Após esse rápido resumo da matéria do Financial Times, lanço uma hipótese: a moeda brasileira, após os primeiros cálculos do governo sobre o PIB e as exportações, sofreu uma forte queda, não apenas por isso, mas, também, por vários outros motivos que não vem ao caso, aqui. Há poucos dias, Trump acusou o Brasil, e Argentina de estarem desvalorizando artificialmente suas moedas e ameaçou com uma forte taxação os setores de aço e alumínio. Portanto, ao maquiar os dados o governo estaria tentando, além de conseguir prestígio entre os eleitores, valorizar o Real e, assim, dar uma resposta aos Estados Unidos. Entretanto, divulgar dados falsos só prejudicam o Brasil, uma vez que sua confiabilidade no mercado é abalada, o que é péssimo, além de tornar nossos produtos mais caros de maneira artificial, o que prejudica as exportações e o país como um todo.

Alexandre L Silva

Ex-professor de diversas universidades públicas e particulares. Lecionou na Universidade Federal Fluminense e na Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Ex-professor de diversas universidades públicas e particulares. Lecionou na Universidade Federal Fluminense e na Universidade do Estado do Rio de Janeiro.